APNEIA DO SONO E ALZHEIMER: POSSÍVEIS LIGAÇÕES.





Uma nova pesquisa confirmou ligações há muito suspeitas entre a apnéia do sono e a doença de Alzheimer, encontrando sinais idênticos de dano cerebral em ambas as condições.


Embora a causa da doença de Alzheimer permaneça um mistério, as placas amilóides tóxicas para as células cerebrais são indicadores conhecidos da doença.

A nova pesquisa mostrou que essas placas começam no mesmo lugar e se espalham da mesma forma no cérebro de pessoas com apnéia obstrutiva do sono, como naquelas com Alzheimer.


O estudo clínico Alzheimer’s disease neuropathology in the hippocampus and brainstem of people with obstructive sleep apnea, realizado por pesquisadores australianos e islandeses, liderado pela RMIT University, foi publicado na revista Sleep. Aqui, um resumo do trabalho, que pode ser lido na íntegra em: https://academic.oup.com/sleep/advance-article-abstract/doi/10.1093/sleep/zsaa195/5909379?redirectedFrom=fulltext

Resumo:

A apnéia obstrutiva do sono (AOS) envolve interrupções intermitentes da respiração durante o sono. Pessoas com AOS podem apresentar déficits de memória e reduzir o volume do hipocampo; essas características também são características da doença de Alzheimer (DA), onde são acompanhadas por emaranhados neurofibrilares (NFTs) e placas de beta amilóide (Aβ) no hipocampo e tronco cerebral. Recentemente, mostramos que o volume hipocampal reduzido está relacionado à gravidade da AOS e, embora a AOS possa ser um fator de risco para DA, o hipocampo e os troncos cerebrais de casos de AOS verificados clinicamente ainda não foram examinados para NFTs e placas Aβ. O presente estudo utilizou imuno-histoquímica quantitativa para investigar hipocampos post-mortem de 34 pessoas com AOS (18 mulheres, 16 homens; idade média de 67 anos) e tronco cerebral de 24 pessoas com AOS quanto à presença de NFTs e placas Aβ. A gravidade da AOS foi um preditor significativo da carga da placa Aβ no hipocampo após o controle de idade, sexo, IMC e uso de CPAP. A gravidade da AOS também previu a carga de NFT no hipocampo, mas não após o controle da idade. Embora 71% dos troncos cerebrais contivessem NFTs e 21% contivessem placas Aβ, suas cargas não foram correlacionadas com a gravidade da AOS.


Estes resultados indicam que a AOS é responsável por alguns dos indivíduos 'cognitivamente normais' que foram encontrados com cargas substanciais de Aβ e são atualmente considerados em um estágio prodrômico de AD.


HEALS Educação, mantendo você sempre bem informado!

#educacao #capacitacaoprofissional #desenvolvimentohumano #aprimoramento #coach #softskills #liderança #farmacia #nutricao #enfermagem #medicina #estetica #radiologia #biomedicina #quimica #biologia #fisioterapia #fitoterapia #plantasmedicinais #farmaciaclinica #farmacoterapia #healseducacao #apneiadosono #alzheimer

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo