Asmáticos: maior risco de Covid-19 no inverno!


No último sábado (20/06), tivemos o início do inverno e ontem (21/06) foi o dia nacional do controle da asma. Essa combinação é motivo de alerta para esses pacientes, que também são grupo de risco para a Covid-19!


A asma é uma doença pulmonar inflamatória crônica, que prejudica a respiração e nos episódios de crise leva à falta de ar, tosse crônica, chiado e aperto no peito; podendo se agravar com atividades físicas. A gravidade da asma varia de pessoa para pessoa. É uma das doenças crônicas mais comuns, afetando crianças e adultos, sendo considerada um problema mundial de saúde. Estima-se que no Brasil existem aproximadamente 20 milhões de asmáticos.


A causa exata da asma ainda não é conhecida, mas acredita-se que fatores genéticos e ambientais estão envolvidos. São vários os fatores que podem desencadear ou agravar a asma, tais como pó domiciliar, ácaros, fungos, polens, pelo e saliva de animais, fezes de barata, infecção respiratória viral, fumaça em geral e principalmente de cigarro, poluição do ar, aerossóis, alteração emocional, medicamentos (aspirina, anti-inflamatório não hormonal, beta-bloqueadores) e exercícios, além de variação climática como exposição ao frio.


Somada essa lista à chegada do inverno, temos mais um agravante: trata-se da estação mais fria do ano, com clima seco que mantém a poluição mais tempo no ar, leva pessoas a ficarem menor tempo ao ar livre e agora com o distanciamento social, por conta da pandemia, temos um conjunto que favorece os pacientes asmáticos terem contato com todos os agentes desencadeantes e agravantes de crises.


Existem medicações do tipo controladoras que evitam crises e as indicadas para alívio dos sintomas. As medicações podem reduzir a inflamação dos brônquios, diminuindo o risco de crises e evitam a perda da capacidade respiratória futura. O uso correto da medicação controladora diminui muito ou até elimina a necessidade da medicação de alívio.


Portanto, o paciente asmático deve estar alerta ao tratamento para o controle e focar na identificação dos fatores desencadeantes e agravantes, especialmente no ambiente domiciliar.


Medidas simples de controle ambiental são fundamentais para diminuir o contato com os ácaros e com o pó doméstico:

  • deixar o ambiente do convívio diário, principalmente o quarto, bem limpo e arejado;

  • a limpeza deve ser diária com aspirador e pano úmido, sem produtos com cheiro forte;

  • não usar vassouras, pois espalham a poeira fina, que ficará em suspensão e voltará a se depositar;

  • retirar tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, estantes com livros, enfim, tudo que facilite o acumulo de pó;

  • encapar colchões e travesseiros com tecido específico, para criar uma barreira física contra o ácaro;

  • evitar animais dentro de casa.


HEALS Educação, mantendo você sempre bem informado!

#educacao #capacitacaoprofissional #desenvolvimentohumano #aprimoramento #coach #softskills #liderança #farmacia #nutricao #enfermagem #medicina #estetica #radiologia #biomedicina #quimica #biologia #fisioterapia #fitoterapia #plantasmedicinais #farmaciaclinica #farmacoterapia #healseducacao #asma #doençasrespiratorias #covid-19

#inverno


Saiba mais: https://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/2983-21-6-dia-nacional-de-controle-da-asma

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo