DIAGNÓSTICO E MANEJO DA DOR DE CABEÇA.



O JAMA Network publicou uma revisão do pesquisador Mathew Robbins, Departamento de Neurologia, Weill Cornell Medical College, Nova Iorque. São apresentadas as cores de cabeça de origem primária e secundária, seu diagnóstico e tratamentos propostos. Em resumo, o artigo traz o seguinte:


Os distúrbios primários da dor de cabeça são definidos como dores de cabeça que não estão relacionadas a uma condição médica subjacente e são categorizados em 4 grupos: enxaqueca, dor de cabeça tipo tensão, cefalgias autônomas trigêmeas e outros distúrbios primários de dor de cabeça. Estudos que avaliam a prevalência em mais de 100 mil pessoas relataram que a dor de cabeça do tipo tensão afetou 38% da população, enquanto a enxaqueca afetou 12% e foi a mais incapacitante.


Os distúrbios secundários da dor de cabeça são definidos como dores de cabeça devido a uma condição médica subjacente e são classificados de acordo com as causas: pressão/volume vascular, neoplásico, infeccioso ou intracraniano.


Pacientes com dor de cabeça devem ser avaliados para determinar se sua dor de cabeça é mais provável um distúrbio primário ou secundário de dor de cabeça. Eles devem ser avaliados para sintomas ou sinais que sugiram um problema médico urgente, como um início abrupto, sinais neurológicos, idade de 50 anos ou mais, presença de câncer ou imunossupressão, e provocada por atividades físicas ou alterações posturais.


O tratamento agudo da enxaqueca inclui paracetamol, anti-inflamatórios não esteroides e produtos combinados que incluem cafeína. Pacientes que não respondem a esses tratamentos podem exigir tratamentos específicos para enxaqueca, incluindo triptanos (agonistas 5-HT1B/D), que eliminam a dor em 20% a 30% dos pacientes em 2 horas, mas são acompanhados por efeitos adversos como lavagem transitória, aperto ou formigamento na parte superior do corpo em 25% dos pacientes.


Pacientes com ou com alto risco de doenças cardiovasculares devem evitar triptanos por causa de propriedades vasoconstritoras. Tratamentos agudos com gepants, antagonistas aos receptores do gene de calcitonina do neuropeptídeo inflamatório, como rimegepant ou ubrogepant, podem eliminar sintomas de dor de cabeça por 2 horas em 20% dos pacientes, mas têm efeitos adversos de náusea e boca seca em 1% a 4% dos pacientes.


Os tratamentos preventivos incluem anti-hipertensivos, antiepilépticos, antidepressivos, anticorpos monoclonais relacionados ao gene de calcitonina, que reduzem a enxaqueca em 1 a 3 dias por mês em relação ao placebo.


HEALS EDUCAÇÃO, MANTENDO VOCÊ SEMPRE MUITO BEM INFORMADO!


O artigo completo se encontra no link: https://jamanetwork.com/journals/jama/fullarticle/2779823?guestAccessKey=5390e135-5cc9-499a-af02-f4471fd750b0&utm_source=linkedin_company&utm_medium=social_jama&utm_term=4809230016&utm_campaign=article_alert&linkId=118451120

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo