Pacientes com Doença Celíaca Podem ter Danos Neurológicos, se Ingerirem Glúten.



A doença celíaca, uma resposta autoimune à ingestão de glúten, tem sido associada a um risco aumentado de dano neurológico e a resultados negativos de saúde mental. Aqueles com doença celíaca são mais propensos a experimentar depressão, ansiedade e pensamentos de automutilação, além de uma redução no tempo de reação e na função cognitiva. A neuroimagem de pacientes com o distúrbio revela alterações da substância branca no cérebro.

Pessoas que vivem com doença celíaca têm um risco maior de dano neurológico, de acordo com um novo estudo da Universidade de Sheffield. O estudo constatou que os cérebros das pessoas que vivem com a doença mostraram evidências de danos à matéria cerebral e déficit cognitivo, na forma de tempos de reação lentos.

Os pesquisadores esperam que o estudo ajude os médicos a adequar seus cuidados aos pacientes com doença celíaca, que podem apresentar até as mais leves alterações cognitivas; proporcionando segurança e motivação para a manutenção de uma dieta estrita sem glúten e erradicar qualquer ceticismo na comunidade clínica.

As pessoas que vivem com doença celíaca têm maior sensibilidade ao glúten e são aconselhadas a seguir uma dieta rigorosa (sem glúten), o único método atual para minimizar a exposição e o risco imediato de danos ao sistema digestivo.


Como resultado da exposição repetida ou descontrolada, a resposta autoimune ao glúten também pode levar a complicações graves e problemas de saúde a longo prazo para pessoas que vivem com doença celíaca. Isso inclui um maior risco de doença arterial coronariana, câncer de intestino delgado, deterioração da saúde óssea e danos ao sistema nervoso.


Há muito tempo se debate entre neurologistas e gastroenterologistas sobre se esse dano neurológico é causado como resultado de pessoas com doença celíaca, com estudos anteriores que encontraram evidências conflitantes. Buscando encerrar esse debate, pesquisadores da Universidade de Sheffield conduziram um estudo usando amostras de estudos independentes de pessoas sem doenças neurológicas pré-existentes do Biobank nacional do Reino Unido. Esses dados, incluindo pontuações de testes cognitivos e dados de imagens cerebrais, foram usados para eliminar qualquer chamado "viés de verificação" em seu estudo.


O Dr. Iain Croall, pesquisador do Departamento de Infecção, Imunidade e Doenças Cardiovasculares da Universidade de Sheffield, disse: “Pela primeira vez, o estudo oferece alguma clareza sobre o fato de que parece haver o risco de dano neurológico para pessoas vivendo com doença celíaca, impulsionado por sua resposta autoimune à exposição ao glúten. Nossos participantes independentes do Biobank do Reino Unido com CD mostraram déficits neurológicos e psicológicos significativos quando comparados aos participantes do controle. Os dados do grupo de participantes mostraram um déficit significativo no tempo de reação, em comparação com os participantes do controle; ao lado de sinais de ansiedade, infelicidade e depressão relacionadas à saúde. ” O tempo de reação é um indicador da velocidade do processamento cognitivo e as pessoas que comprometeram o tecido da substância branca frequentemente apresentam deficiências nessa área.

Pesquisas anteriores também destacaram que 50% dos pacientes com doença celíaca recém-diagnosticados apresentam sintomas neurológicos clínicos, enquanto estudos populacionais demonstraram que viver com essa doença pode aumentar o risco de desenvolver condições como demência vascular na terceira idade.

“O que a pesquisa mostra é que seria de grande benefício para os clínicos apoiar as pessoas que vivem com doença celíaca a serem o mais vigilantes possível com sua dieta sem glúten. A redução de qualquer exposição acidental ao glúten controla mais danos cerebrais e promove a cura dentro do sistema digestivo, salvaguardando um melhor nível de saúde geral ”, disse o Dr. Croall.

HEALS Educação, mantendo você sempre bem informado 😉


Acesse nosso site e conheça várias opções de cursos e palestras https://www.healseducacao.com.br/shop


#educacao #capacitacaoprofissional #desenvolvimentohumano #aprimoramento #coach #softskills #liderança #farmacia #nutricao #enfermagem #medicina #estetica #radiologia #biomedicina #quimica #biologia #fisioterapia #fitoterapia #plantasmedicinais #farmaciaclinica #farmacoterapia #healseducacao #doencaceliaca #glutenfree


Saiba mais no link: https://neurosciencenews-com.cdn.ampproject.org/c/s/neurosciencenews.com/celiac-disease-brain-15829/amp/


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Heals logo final final..png
LINKS
CONTATO

atendimento@healseducacao.online

Tel.: (11) 99258-2622

Avenida Paulista 807, São Paulo

SOCIAL
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Twitter