Stress materno e desenvolvimento da flora intestinal dos bebês.



O sofrimento psicológico pré-natal crônico da mãe e as concentrações elevadas de cortisol no cabelo estão associadas à composição da microbiota intestinal do bebê, de acordo com uma nova publicação do projeto de pesquisa FinnBrain da Universidade de Turku, na Finlândia, que acompanha 4000 familias. Os resultados ajudam a entender melhor como o estresse pré-natal pode ser conectado ao crescimento e desenvolvimento infantil. O estudo foi publicado na conceituada revista Psychoneuroendocrinology .


O estresse pré-natal pode estar associado ao crescimento e desenvolvimento infantil. No entanto, os mecanismos subjacentes a essa associação ainda não estão totalmente esclarecidos.


O estudo utilizou a análise do cortisol capilar, que permitiu medir as médias de concentração do hormônio do estresse cortisol ao longo de vários meses. Além disso, os sintomas da mãe foram avaliados três vezes durante a gravidez. A microbiota intestinal infantil foi analisada precocemente aos 2,5 meses de idade com sequenciamento da próxima geração.


Anteriormente, estudos semelhantes se concentraram em animais e dois foram estudos menores em humanos. Os dados deste estudo, constituídos por 399 mães e seus bebês são os maiores do mundo até agora. Os resultados recebidos fornecem novas informações significativas sobre o fenômeno. Além disso, este estudo foi capaz de confirmar observações feitas anteriormente.


“Descobrimos, por exemplo, que o sofrimento psicológico pré-natal crônico da mãe estava ligado ao aumento da abundância de gêneros de Proteobacteria na microbiota infantil. Além disso, os sintomas psicológicos crônicos estavam relacionados à diminuição da abundância dos gêneros Akkermansia, que é considerada promotora de saúde nos adultos ”, resume Aatsinki, responsável pela pesquisa.


De acordo com Aatsinki, também foi interessante notar que baixas concentrações de cortisol estavam associadas ao aumento da abundância de Lactobacillus na microbiota intestinal infantil.


Bactérias Lactobacillus são consideradas promotoras de saúde. No entanto, as proteobactérias também contêm espécies capazes de causar inflamação no organismo. As proteobactérias também podem ser associadas ao risco de doença da criança mais tarde na vida. Portanto, os pesquisadores consideram importante estudar como as mudanças observadas estão ligadas ao desenvolvimento infantil posterior.


O estudo faz parte do projeto de pesquisa FinnBrain e seu subprojeto de eixo intestino-cérebro. O subprojeto liderado pela Psiquiatra da Criança e do Adolescente Linnea Karlsson estuda como o estresse pré-natal afeta o desenvolvimento da microbiota infantil e como os micróbios intestinais afetam o desenvolvimento cerebral posterior.


HEALS Educação, mantendo você sempre bem informado!


#educacao #capacitacaoprofissional #desenvolvimentohumano #aprimoramento #coach #softskills #liderança #farmacia #nutricao #enfermagem #medicina #estetica #radiologia #biomedicina #quimica #biologia #fisioterapia #fitoterapia #plantasmedicinais #farmaciaclinica #farmacoterapia #healseducacao #gestante #gestação #stressnagestação #floraintestinal #microbiota

Acesse a artigo original pelo link: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0306453020301736?via%3Dihub

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
Heals logo final final..png
LINKS
CONTATO

atendimento@healseducacao.online

Tel.: (11) 99258-2622

Avenida Paulista 807, São Paulo

SOCIAL
  • LinkedIn ícone social
  • Instagram
  • Facebook ícone social
  • Twitter