VOCÊ SABE QUE BOLDO É ESSE???



O nome popular - boldo - é utilizado para nomear várias espécies, nem todas da mesma família botânica, e isso pode causar confusão e sérios problemas, justamente por serem plantas usadas como medicinais.

Um tipo de Boldo, proveniente da região centro-sul do Chile e sudoeste da Argentina, o Peumus boldus, conhecido como boldo-do-chile, é uma espécie dióica da família Monimiaceae. Na família Lamiaceae, além do Plectranthus barbatus, conhecido como boldo-africano ou boldo-brasileiro, há ainda o Plectranthus ornatus (boldo-chinês), o Plectranthus neochilus (boldo-miúdo ou boldinho) e o Plectranthus amboinicus (boldo-de-moita ou orégano-cubano). Há também um outro boldo, da família Asteraceae, a antiga Vernonia condensata, denominada, agora Gymnanthemum amygdalinum (boldo-baiano).

Nas fotos temos o P. barbatus, que apresenta ações digestivas importantes e ação antioxidante para os hepatócitos.

Um estudo avaliou a capacidade do P barbatus em proteger os hepatócitos de lesão oxidativa por ferro. A administração intraperitoneal de ferro-dextran em ratos resulta na captação de ferro pelas células de Kupffer, podendo agir de duas formas: (1) pela produção de espécies oxidativas, tanto por vias direta como pela reação de Fenton, e (2) através da ativação do fator nuclear kB, produzindo mediadores fibrogênicos, citocinas pró-inflamatórias, quimiocinas e moléculas de adesão; estes podem ser responsáveis por danos às células de Kupffer, bem como para o aumento do número de macrófagos residentes encontrados em ratos com sobrecarga de ferro; ambos os efeitos poderiam aumentar danos nos hepatócitos.


Ao avaliar os efeitos do ferro-dextran no material histológico processado em nosso trabalho, vimos que o grupo tratado com salina mais ferro-dextran (G3), apresentou grânulos de ferro no citoplasma das células de Kupffer com alargamento das mesmas e algumas com os núcleos hipertróficos. Já o grupo tratado com Extrato Aquoso de Plectranthus barbatus mais ferro-dextran (G4), resultou no desaparecimento dos sinais de danos às células de Kupffer sem nenhum núcleo hipertrófico, mas com a presença de grânulos de ferro totalmente fagocitados pelas mesmas, o que demonstra uma aparência morfológica normal. Esses resultados indicam que o tratamento com EAPB atua como hepatoprotetor, sendo capaz de diminuir os danos às células de Kupffer induzidos pelo ferro.

O estudo de Sharma demonstra que o forskolin, composto obtido das raízes de P barbatus age por estímulo de adenilato ciclase, aumentando AMPc, que inibe a degranulação de mastócitos, reduz a histamina, a pressão arterial e intraocular, inibe a agregação plaquetária, promove vasodilatação, broncodilatação, liberação de hormônios tireoidianos e aumento da lipólise. Ou seja: Pode ser tratamento interessante para hipertensão, arritmias, asma, glaucoma, obesidade e hipotireoidismo.

Você, profissional de saúde, sabia de todo esse potencial? Já usou esse recurso da fito em seus pacientes?


HEALS EDUCAÇÃO, MANTENDO VOCÊ SEMPRE MUITO BEM INFORMADO.


Veja o artigo publicado originalmente em:


Plectranthus barbatus Andrews — Herbário (unirio.br)

(PDF) Coleus (Plectranthus barbatus) - Uma erva medicinal multiuso (researchgate.net)

SciELO - Brasil - Phytochemical characterization and biological activities of <i>Plectranthus barbatus</i> Andrews Phytochemical characterization and biological activities of <i>Plectranthus barbatus</i> Andrews

17 visualizações0 comentário